Sábado, 26 de Agosto de 2006

Gosto de gente

"Gosto de gente com a cabeça no lugar,
de conteúdo interno, idealismo nos olhos, um pé no chão da realidade e
outro na realização do sonho.

Gosto de gente que ri, chora, se emociona com uma simples carta, um telefonema,
uma canção suave, um bom filme, um bom livro, um gesto de carinho, um abraço, um afago.

Gente que ama e curte saudades, gosta de amigos, cultiva flores, ama animais.

Admira paisagens, poesia e mares.

Gente que tem tempo para sorrir bondade, semear perdão, repartir ternuras,
compartilhar vivências e dar espaço para emoções dentro de si,
emoções que fluem naturalmente dentro de seu ser.

Gente que goste de fazer as coisas que gosta, sem fugir de compromissos difíceis
e inadiáveis, por mais desgastantes que sejam
.

Gente que colhe, orienta, se entende, aconselha, busca a verdade e quer sempre aprender,
mesmo que seja de uma criança, de um pobre, de um analfabeto.

Gente de coração desarmado, sem ódio e preconceitos baratos.
Com muito AMOR dentro de si.

Gente que erra e reconhece, cai e se levanta, apanha e assimila os golpes,
tirando lições dos erros e fazendo redentora as suas lágrimas e sofrimentos.

Gosto muito de gente assim....

E desconfio que é deste tipo de gente que DEUS quer que sejamos."

 

publicado por pitita83 às 22:37
link do post | comentar | favorito

Momentos

Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém
que o que mais
queremos é tirar essa pessoa dos nossos
sonhos e abraçá-la.
Sonha com aquilo que quiseres.
Sê o que queres ser, porque possuis apenas uma vida
e nela só tens uma hipótese de fazer aquilo que queres.

Tem bastante felicidade para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte.

Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.
As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem
nos seus caminhos.

A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se magoam.
Para aqueles que procuram e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem a importância das pessoas
que passam pelas suas vidas.
                                                                  
O futuro mais brilhante é baseado num passado
intensamente vivido.
Só terás sucesso na vida quando perdoares os erros e
as decepções do passado.
A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar duram
uma eternidade.
A vida não é de se brincar, porque em um belo dia se morre.
publicado por pitita83 às 21:09
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Qual é....

O dia mais belo? - Hoje...

A coisa mais fácil?- Equivocar-se...

O maior obstáculo? - Medo...

O maior erro? - Abandonar-se...

A raiz de todos os males? - Egoísmo...

A distração mais bela? - Trabalho...

A pior derrota? - Desalento...

Os maiores professores? - Crianças...

A primeira necessidade? - Comunicar-se...

De mais feliz a se fazer? - Ser útil aos demais...

O maior mistério? - A morte...

O pior defeito? - O mau humor...

A pessoa mais perigosa? - A mentirosa...

O sentimento pior? - O rancor...

O presente mais belo? - O perdão...

O mais imprescindível? - Orar...

O caminho mais rápido? - O correto...

A sensação mais grata? - A paz interior...

A expressão mais eficaz? - O sorriso...

O melhor remédio? - O otimismo...

A maior satisfação? - O dever cumprido...

A força mais potente do universo? - A fé...

As pessoas mais necessárias? - Os pais...

A coisa mais bela de todas? - O amor...

Madre Teresa de Calcutá

publicado por pitita83 às 20:54
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 18 de Agosto de 2006

Acostumamo-nos, eu sei, mas não deviamos

Acostumamo-nos a acordar de manhã, sobressaltados porque está na hora, tomamos o café a correr porque estamos atrasados. Acostumamo-nos a ler o jornal no metro porque não podemos perder tempo na viagem, a comer sanduíches porque não temos tempo para almoçar.Acostumamo-nos a andar nas ruas e ver cartazes, a abrir as revistas e ver anúncios, a ligar a televisão e ver publicidade. Acostumamo-nos a lutar para ganhar dinheiro, a ganhar menos do que precisamos e a pagar mais do que as coisas valem. Acostumamo-nos a viver em apartamentos que a não ter outra vista que não a das janelas ao redor.Acostumamo-nos a não abrir de todo as cortinas, e à medida que nos acostumamos, esquecemos o sol, o ar, a amplidão. Acostumamo-nos à poluição, à luz artificial de ligeiro tremor, ao choque que os olhos levam com a luz natural. Acostumamo-nos às bactérias da água potável, à morte lenta dos rios, à contaminação da água do mar. Acostumamo-nos à violência, e aceitando a violência, que haja número para os mortos. E, aceitando os números, aceitamos não haver paz.
Acostumamo-nos a coisas demais para não sofrer. Acostumamo-nos para não nos chatearmos na aspereza para preservar a pele. Acostumamo-nos para poupar a vida. Que aos poucos se gasta, e que de tanto se acostumar, se perde por si mesma.

Acostumamo-nos, eu sei, mas não deviamos.

música: Velho - Mafalda Veiga
publicado por pitita83 às 07:53
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 17 de Agosto de 2006

Amor

Se uma pessoa diz a outra que a ama, a própria linguagem supõe a expressão "para sempre". Não tem sentido dizer: - Amo-te, mas provavelmente só durará uns meses, ou uns anos, desde que continues a ser simpático e agradável, ou eu não encontre outra melhor, ou não fiques feio com a idade. Um "amo-te" que implica "só por algum tempo" não é um amor verdadeiro. É antes um "gosto de ti, agradas-me , sinto-me bem contigo, mas de modo algum estou disposta a entregar-me inteiramente, nem a entregar-te a minha vida".
música: We belong together - Mariah Carey
publicado por pitita83 às 22:44
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

...

Caminho placidamente entre o ruído e a pressa. Lembro-me de que a paz pode residir no silêncio.
Sem me renunciar, esforço-me por ser amiga de todos.
Digo a verdade quietamente, claramente.
Escuto os outros, ainda que sejam torpes e ignorantes; cada um deles tem também uma vida que contar.
Evito os ruidosos e os agressivos, porque eles denigrem o espírito.
Se me comparar com os outros, posso converter-me numa mulher vã e amargurada: sempre haverá perto de mim alguém melhor ou pior.
Alegro-me tanto com as minhas realizações como com os meus projectos.
Amo o meu trabalho, mesmo humilde; pois é o tesouro da minha vida.
Serei prudente, porque no mundo abundam pessoas sem escrúpulos.
Mas que esta convicção não me impeça de reconhecer a virtude; há muitas pessoas que lutam por ideais formosos e, em toda a parte, a vida está cheia de heroísmo.
Serei eu mesma. Sobretudo, não pretendo dissimular as inclinações. Não serei cínica no amor, porque quando aparece a aridez e o desencanto no rosto, isso converte-se-à em algo tão perene como a erva.
Aceito com serenidade o cortejo dos anos, e renuncio sem reservas aos dons da juventude.
Fortaleço o meu espírito, para que não me destruam desgraças inesperadas.
Mas não invento falsos infortúnios.
Muitas vezes o medo é resultado da fadiga e da solidão.
Sem esquecer uma justa disciplina, serei benigna para mim mesma. Não serei mais do que uma criatura no universo, mas não serei menos que as árvores ou as estrelas: tenho direito a estar aqui.

Serei cuidadosa.
Lutarei por ser feliz.

música: Someday - Celtic Woman
publicado por pitita83 às 22:12
link do post | comentar | favorito

.o meu Eu

.pesquisar

 

.Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. I Don't Want to Miss a Th...

. Uma noite para Comemorar

. Velho

. Cada Lugar Teu

. Deixa o Mundo Girar

. Carta a uma amiga

. Carta a um amigo

. Sedução

. O Cultivar dos pequenos G...

. Solidão

.arquivos

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Agosto 2006

blogs SAPO

.subscrever feeds